O silêncio e a meditação


Vivemos cada vez mais num mundo barulhento, onde o silêncio vale ouro. O frenesim constante, o barulho de fundo que perturba a nossa mente, está a afastar-nos cada vez mais da nossa essência. É comum observarmos a insatisfação constante ao nosso redor. Não perdoa classe social, nem raça, nem religião. Todo mundo se queixa e todo mundo continua a procurar não sei bem do quê e, a culpar não sei bem quem, pela sua própria insatisfação de viver.

Faz três anos que sai de Portugal, que emigrei, que me senti preparada para conhecer o novo, explorar o desconhecido e permitir a entrada da solidão na minha vida. Mas para reunir esta força, meditei muito, silenciei o pensamento e dei espaço a alma para manifestar o desejo. É a este silêncio que me refiro. É a este espaço individual que cada um de nós precisa, que está abafado por uma agitação enganadora, por uma sociedade de ter em vez de ser. Não é fácil aceitar e encontrar um caminho de silêncio e solidão, principalmente por seguir o caminho oposto que a sociedade nos incentiva, nos estimula. Mas é o caminho certo. É o único caminho que nos vai dar raízes e estrutura suficiente para suportarmos as dificuldades da vida atual. Quando nos estruturamos em nós mesmos e não nos outros, criamos pontes com estruturas sólidas, em vez de linhas invisíveis que se abalam com o vento.

Para meditar não precisa de muito. Quer experimentar? Então vamos lá.

Sente-se numa posição confortável o suficiente para conseguir ficar por um período de tempo parado mas não muito confortável para não adormecer. Deixe a sua bacia um pouco mais alta que os pés para não ficar com aquela sensação incómoda de formigueiro. Para isso, basta sentar-se numa cadeira ou de perna cruzada numa almofada no chão.

Certifique-se que não vai ser incomodado na próxima hora. Silencie o celular e permita-se a reservar este tempo para si mesmo. Como convém encontrar alguma regularidade na prática de meditação, escolha um horário que não o prejudique nem social nem profissionalmente.

Poderá optar por vários tipos de meditação. Irei apresentando um de cada vez e sugiro que vá experimentando até encontrar a que mais lhe agradar. Depois, é só praticar e encontrar o bem estar no silêncio.

Meditação com mandalas

A pintura de mandalas é um tipo de meditação simples e comum. A mandala pela sua repetição, constância e formato circular, induz-nos a um processo de meditação de forma discreta mas funcional. As cores utilizadas, as formas e os traços refletem o momento atual emocional de quem cria. Ela proporciona bem-estar, relaxamento e previne o estresse. Estimula também a criatividade, a concentração e a capacidade de foco.

#Meditação #Mandalas

// DESTAQUE
Posts em breve
Fique ligado...
// RECENTES
// ARQUIVO
// TAGS
Nenhum tag.
// NAS REDES
  • LinkedIn - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Pinterest - White Circle